Contabilidade

Contabilidade é uma ciência aplicada que tem como objecto de estudo o patrimônio das entidades (ou a azienda, que é o patrimônio mais a pessoa que o administra), seus fenômenos e variações, tanto no aspecto quantitativo quanto no qualitativo, registrando os fatos e atos de natureza econômico-financeira que o afetam e estudando suas consequências na dinâmica financeira.

A Contabilidade é a ciência que mede a realidade econômica de uma organização a fim permitir o planejamento e controle adequados de entidades econômicas.

Contabilidade é, portanto, a ciência da medição, processamento e comunicação de informações econômico-financeiras sobre entidades econômicas, sejam elas empresas públicas ou privadas, com ou sem fins lucrativos ou uma nação (Contabilidade Nacional).

A contabilidade é referida frequentemente como a “linguagem dos negócios”, mede os resultados das atividades econômicas de uma organização e transmite essa informação a uma variedade de usuário incluindo investidores, credores, gerentes e agentes reguladores.

Os praticantes de contabilidade são conhecidos como Contabilistas. Conforme o economista Paulo Sandroni, a contabilidade é a ciência que “cuida da classificação, registro e análise de todas as transações realizadas por uma empresa ou órgão público, permitindo dessa forma uma constante avaliação da situação econômico-financeira.

De acordo com a doutrina oficial brasileira (organizada pelo Conselho Federal de Contabilidade), a contabilidade é uma ciência social da mesma forma que a economia e a administração.

No Brasil, os profissionais de contabilidade em geral são chamados de contabilistas.

Recebem a titulação de contador os bacharéis aprovados no exame de suficiência do Conselho Federal de Contabilidade.

Recebem o título técnico de contabilidade os profissionais que têm formação de nível técnico e que tenham obtido seu registro até 01/06/2015.

Aos contabilistas certificados compete a execução da contabilidade e aos ROC compete a revisão (auditoria de base legal) em ordem à mencionada certificação legal das contas.

Curiosidades Sobre Contabilidade

  • Em maio de 2016, o Conselho Federal de Contabilidade (CFC) apurou, no Brasil, a existência de 572.961 profissionais da contabilidade e 53.321 organizações contábeis ativas.
  • A pedra-símbolo da contabilidade é o rubislite.
  • “Contabilidade” deriva do termo italiano contabilità, numa referência ao uso das contas contábeis.
  • A contabilidade toma emprestado muitos conceitos e ferramentas de outras ciências. No entanto, tem algo que é exclusivamente seu, que é a chamada “equação fundamental da contabilidade”.
  • A contabilidade para as pessoas jurídicas é obrigatória por Lei, no Brasil.

A História da Contabilidade

Num mercado baseado na troca de mercadorias, a contabilidade servia para definir quanto alguém possuía de uma determinada mercadoria e qual o valor de troca dessa mercadoria em relação a outra.

A contabilidade iniciou-se empiricamente com Leonardo Fibonacci. Com o monge Luca Pacioli, principal divulgador do método das partidas dobradas, encerrou-se a fase empírica e menos organizada da contabilidade a partir do século XV.

Uma dificuldade no estudo da matéria, principalmente no Brasil, é a de os trabalhos científicos sobre contabilidade não raro sofrerem de um excesso de experimentalismo, o que tem prejudicado o desenvolvimento da matéria em várias áreas.

Muitos desses trabalhos foram classificados até o final da década de 1960 como de Economia Aziendal, um ramo da economia proposto pelos italianos e outros estudiosos europeus, passando a prática contábil e, particularmente, a escrituração, a ser mais conhecida como contabilidade aplicada.

No Brasil, prevalece a abordagem acadêmica da essência econômica, deixando de ser destacadas em primeiro nível as relações profundas com outras ciências observadas na contabilidade aplicada.

Até meados do século XX, muitos autores a viam como um processo (alguns a chamavam por isso de contabilidade histórica).

Em economia, foi proposto a contabilidade ser um sistema inserido dentro dos sistemas econômicos maiores, como o das empresas (microeconomia) e dos governos (macroeconomia).

Em países como o Brasil, onde a legislação é um fator decisivo na forma final que receberá a atividade, há a ideia do Sistema de Contabilidade ser um sistema de escrituração: a contabilidade de custos, por exemplo, é vista pelos legisladores como um sistema à parte do sistema contábil, havendo um dispositivo que permite, contudo, que a empresa possa optar por integrar ou não, à sua escrituração, o sistema de custos.

VEJA  Culinária: O que é Culinária e Qual sua Relação com a Gastronomia

Não se pode negar que a proliferação dos sistemas informatizados de contabilidade foi a mais profunda inovação para a atividade.

A contabilidade não poderia ignorar os inúmeros recursos que a informática pode proporcionar ao seu mister de controle e estudo do patrimônio.

Ao contrário do que possa parecer, todavia, esses sistemas não eliminaram totalmente a contabilidade tradicional.

A Contabilidade no Brasil: A História da Contabilidade no Brasil

A partir de 1500, com o descobrimento do Brasil pelos portugueses, o novo país começaria a escrever uma parte da história da contabilidade.

Em 1916, surgiram a Associação dos Contadores de São Paulo e o Instituto Brasileiro de Contabilidade, no Rio de Janeiro.

Nove anos depois, em 1924, foi realizado o 1° Congresso Brasileiro de Contabilidade e foram lançadas as bases para a campanha pela regulamentação de contador e reforma do ensino comercial no Brasil.

Cresceram as articulações para o desenvolvimento da profissão contábil e, em 1927, foi fundado o Conselho Perpétuo, um embrião do que seria, no século XXI, o sistema Conselho Federal e Conselho Regional de Contabilidade.

Em 1931, foi criado o curso de contabilidade, que formava dois tipos de profissionais: os guarda-livros, que cursavam dois anos, e perito-contadores, que cursavam três anos.

Com isso, multiplicaram-se as gestões para a criação do Conselho Federal de Contabilidade (CFC), a exemplo do que já acontecia na engenharia e advocacia, até então as únicas de nível universitário regulamentadas no país.

Tão logo instalado, o Conselho Federal de Contabilidade já começou a atuar para cumprir a função para a qual foi criado.

Em 4 de novembro de 1946, é aprovada a Resolução nº1/46, que dispões sobre a organização dos Conselhos Regionais de Contabilidade, criando as condições e estabelecendo as primeiras regras. Hoje, existe um conselho de contabilidade em cada unidade da federação.

Os conselhos regionais de contabilidade, atualmente, além de registrar e fiscalizar o exercício profissional, promovem educação continuada, alguns em parcerias com o Conselho Federal e com universidades, oferecendo, aos profissionais da contabilidade, condições de se qualificarem e atenderem às exigências do mercado de trabalho, além de oferecerem, à sociedade, um serviço de qualidade.

Os Usuários da Contabilidade e os Objetivos da Contabilidade

A contabilidade é um verdadeiro catalisador do mercado de ações. O tema é vital e, por consequência, deve-se manter vigilância sobre o grau em que os objetivos gerais da contabilidade aplicada a uma atividade particularizada estão sendo alcançados.

O entendimento das informações pelos próprios usuários pode levá-los a conclusão da necessidade de valer-se dos trabalhos de profissionais da contabilidade.

Na própria área contábil, encontramos muitos pesquisadores cuja obra não apresenta qualquer escopo pragmático, concentrando-se na contabilidade como ciência.

De qualquer forma, como já vimos, não há qualquer dificuldade na delimitação dos objetivos da contabilidade no terreno científico, a partir do seu objeto, que é o patrimônio, por estarem concentrados na correta representação deste e nas causas das suas mutações.

O objetivo científico da contabilidade manifesta-se na correta representação do Patrimônio e na apreensão e análise das causas das suas mutações.

Já sob ótica pragmática, a aplicação da contabilidade a uma entidade particularizada, busca prover os usuários com informações sobre aspectos de natureza econômica, financeira e física do patrimônio da entidade e suas mutações, o que compreende registros, demonstrações, análises, diagnósticos e prognósticos, expressos sob a forma de relatos, pareceres, tabelas, planilhas e outros meios.

O tema, tão claro no quadrante científico, comporta comentários mais minuciosos quando direcionados aos objetivos concretos perseguidos na aplicação da contabilidade a uma entidade em particular.

VEJA  Direito: O que é Direito e Qual a Função do Bacharel em Direito

Assim, ouve-se com frequência dizer que um dos objetivos da contabilidade é o acompanhamento da evolução econômicas e financeira de uma entidade.

Cumpre, também, ressaltar que, na realização do objetivo central da contabilidade, defrontamo-nos, muitas vezes, com situações nas quais os aspectos jurídico-formais das transações ainda não estão completa ou suficientemente elucidados.

Entende-se a contabilidade como ciência pois:

  • Tem um objeto próprio de estudos;
  • Estuda o objeto sob um aspecto peculiar ou próprio;
  • Estabelece leis (relações entre fatos de validade geral e perene);
  • Enseja a previsão de fatos;
  • Tem metodologia específica;
  • Tem tradição como conhecimento;
  • Enseja aplicação do seu conhecimento.

Existem diversas correntes do pensamento científico da Contabilidade, sendo as consideradas próprias de figurarem como de dimensão predominantemente econômica as seguintes:

  • Materialismo
  • Controlismo
  • Aziendalismo
  • Patrimonialismo
  • Universalismo
  • Neopatrimonialismo

As correntes abaixo serviram para se reconhecer uma dimensão jurídica da contabilidade, a saber:

  • Contismo
  • Personalismo

A ressaltar ainda as teorias e técnicas desenvolvidas pelos anglo-americanos, as quais se enquadram na dimensão administrativa da Contabilidade e que, apesar de não se revestirem de caráter científico, são bastante influentes: auditoria (auditoria interna e auditoria externa), princípios contábeis geralmente aceitos (GAAPs), contabilidade divisional, contabilidade gerencial, da análise financeira e da consolidação dos balanços.

A Contabilidade Resumida

Em resumo, a Contabilidade abrange um conjunto de técnicas para controlar o patrimônio das organizações mediante a aplicação do seu grupo de princípios, técnicas, normas e procedimentos próprios, medindo, interpretando e informando os fatos contábeis aos donos das empresas.

Todas as movimentações existentes no patrimônio de uma entidade são registradas pela Contabilidade, que resume os fatos em forma de relatórios e entrega-os aos interessados em saber como está indo a situação da empresa.

Sendo assim, a Contabilidade é a responsável pela escrituração (registro em livros próprios) e apuração destes resultados e é só através dela que há condições para se apurar o lucro ou prejuízo em determinado período.

Trata-se na contabilidade a pessoa jurídica da entidade como distinta da pessoa física do proprietário.

Sendo assim, a contabilidade é formada para a entidade e não para seus respectivos donos, estando voltada para os estudos da empresa pessoa jurídica.

O Profissional da Contabilidade, Cursos e Mercado de Trabalho

Profissional da Contabilidade é a terminologia usada para Contador (com curso universitário de Ciências Contábeis) ou Técnico em Contabilidade (com curso técnico de ensino médio), quando se refere conjuntamente aos dois profissionais.

Para exercer a profissão, o Contador ou Técnico em Contabilidade precisam ser aprovados em Exame de Suficiência e registrados em CRC.

Todo e qualquer patrimônio necessita de critérios de formatação e de avaliação, fato do cotidiano do Profissional da Contabilidade.

Com duração de quatro anos, o curso de Ciências Contábeis abrange profundos estudos teóricos e práticos de todas as áreas da Contabilidade.

O bacharel em Ciências Contábeis tem sua profissão regulamentada pelo Decreto-lei nº 9.295/46 e suas atribuições definidas pela Resolução nº 560/83, do Conselho Federal de Contabilidade.

Onde há uma empresa, seja ela de pequeno, médio ou grande porte, existe a figura do Profissional da Contabilidade.

O Profissional da Contabilidade pode exercer múltiplas funções, podendo atuar como:

  • Autônomo
  • Empresário de Contabilidade
  • Auditor Independente, Auditor Interno
  • Consultor Tributário
  • Controller
  • Auditor Fiscal
  • Perito Contábil
  • Membro de Conselho Fiscal e de Administração
  • Árbitro em câmaras especializadas
  • Acadêmico
  • Membro de Comitês de Auditoria
  • Membro de Entidade de Classe
  • Executivo

Técnico em Contabilidade

O Técnico em Contabilidade fornece às empresas informações úteis para garantir desenvolvimento e crescimento.

A tecnologia é fundamental no dia a dia do Técnico em Contabilidade e a tendência é que o trabalho manual e rotineiro diminua cada vez mais, agilizando a atuação do profissional.

A formação do Técnico em Contabilidade possui alguns limites. Quem já concluiu o nível médio ou, até mesmo, o nível superior em cursos como Direito, Administração de Empresas e Economia poderá obter o certificado de Técnico em Contabilidade após frequentar cursos de matérias técnicas com duração de 800 horas.

VEJA  Construção Civil: O que é Construção Civil e Como Surgiu

O mercado de trabalho para o Técnico em Contabilidade é bastante amplo. É possível atuar em instituições públicas e privadas, empresas prestadoras de serviços contábeis, bancos, estabelecimentos de ensino, escritórios de Contabilidade e também como autônomo.

O Técnico em Contabilidade tem, praticamente, todas as prerrogativas do bacharel em Ciências Contábeis, com exceção dos serviços previstos na alínea c, artigo 25, do Decreto-lei nº 9.295/1946: Auditoria, Perícia e revisão de balanços.

Com o dinamismo da profissão, é recomendando que o Profissional da Contabilidade continue sempre estudando.

O Técnico em Contabilidade pode ingressar no curso de Ciências Contábeis, ao bacharel há a possibilidade de fazer uma pós-graduação, sempre em busca da constante evolução.

Cursos Online de Contabilidade

Veja abaixo a Lista de Cursos Online de Contabilidade oferecidos pelo site Portal de Cursos Rápidos:

Administração
Administração de Edifícios e Condomínios
Administração de Empresas
Administração Financeira
Administração Pública
Aspectos Relacionados às Doenças em Crianças
Assistência de Homologação e Rescisão de Contrato
Assistente Contábil
Auditor Líder com ênfase nas ISO´s
Auditoria Empresarial
Auditoria Interna e Controladoria
Auxiliar Administrativo
Auxiliar de Contabilidade
Auxiliar de Controle Interno
Auxiliar de Departamento Pessoal
Auxiliar de Escritório
Auxiliar de Escritório/Administrativo
Auxiliar Fiscal
Balanço Patrimonial
Capital de Risco
Cartas Comerciais
Carteira de Trabalho e Previdência Social – CTPS
Como Cobrar Inadimplentes
Conhecimentos Bancários
Contabilidade – Micro e Pequenos Empresários
Contabilidade de Custos
Contabilidade Financeira e Gerencial
Contabilidade Geral
Contabilidade Pública
Contabilidade: Simples Nacional e Empresarial
Contas a Pagar e a Receber
Controle de Arquivos e Documentos
Controle de Compras e Estoques
Controle de Materiais
Controle Interno e Externo da Gestão Pública
Controle Orçamentário
Departamento Pessoal
Economia
Empreendedorismo
Escrituração Digital com ênfase em Nota Fiscal Eletrônica
Escrituração Fiscal e Contábil
Estatística
Estatística Básica
Faturamento Avançado
Faturamento Básico
Faturamento de Contas Médicas
Faturamento Fiscal
Faturamento Hospitalar
Férias Trabalhistas
Finanças Pessoais – Planejamento e Controle
Finanças Públicas
Fluxo de Caixa
Gestão de Agronegócios
Gestão de Compras
Gestão de Hotéis e Pousadas
Gestão de Pessoas
Gestão de Projetos
Gestão de Recursos Humanos
Gestão de Tesouraria
Gestão Financeira
Gestão Hospitalar
Gestão Pública
Gestão Pública Participativa
GFIP / SEFIP
Governança Corporativa Aplicada ao Setor Público.
Importação: Rotinas e Procedimentos
Imposto de Renda Pessoa Física
Informática na Matemática
Inteligência Estratégica
Introdução à Bolsa de Valores
Introdução a Contabilidade
Introdução à Contabilidade Comercial
Introdução à Legislação Tributária
Introdução à Lei e Responsabilidade Fiscal Comentada
Introdução à Substituição Tributária
Introdução ao Contrato Individual do Trabalho
Introdução ao Direito Tributário
Investimento Estrangeiro Direto
Matemática Financeira
Novo Código de Processo Civil (CPC)
Operador de Caixa
Orçamento Empresarial
Orçamento Público
Organização e Técnicas Comerciais e Administrativas
PIS / PASEP
Planejamento Financeiro
Planejamento Tributário
Previdência Social
Princípios e Normas do Direito Tributário
Registro de Imóveis
Sistema Integrado de Administração Financeira – SIAFI
Técnica de Arquivo
Transações Imobiliárias

Matricule-se
Matricule-se
Compartilhe Esta Página:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *